Para o jovem, o mercado de trabalho pode se parecer com o primeiro amor. Ele acredita que a empresa é sua cara-metade, que fará o par perfeito em uma relação de extrema felicidade. Assim, o jovem idealiza seu futuro profissional: tudo é maravilhoso e isento de problemas.

Porém, o mercado não é e nunca foi linear, afinal nem tudo ocorre dentro do que se prevê nos manuais, nas teorias ou relatórios. O mercado de trabalho existe em função dos interesses, decisões e iniciativas humanas, por isso é tão inconstante. Pessoas possuem emoções, passam por momentos de tensão, pressão e estresse, assim como sentem boas energias, em situações de felicidade e satisfação.

Por esses e outros motivos, o mercado se torna impessoal e as dispensas sempre sobram para os distraídos que permanecem na zona de conforto. O mercado não tolera aqueles que não se atualizam, pois estes vão ficando para trás em comparação a outros concorrentes. Para o jovem, pode não parecer justo esse cenário de rotatividade, mas é bom entender que esse fator é muito comum.

É preciso, então, contornar esses problemas, estar atento ao mercado de trabalho, às novidades, aos estudos e conhecimentos, e aos colaboradores que os cercam. O jovem precisa recuperar sua força inovadora, que serve como estimulante para novos degraus que o garante mais longe de dispensas e os deixa mais perto do sucesso profissional.