Os jovens e o planeta estão como os deixamos, por obra de nossos valores e atitudes, e um lado dependendo muito do outro.

Duas principais razões devem ser destacadas para justificar essa extensa preocupação com os jovens e sua relação com o planeta Terra: O contexto no qual esses jovens nasceram e aprenderam a conviver, ambiente totalmente tecnológico e com comportamento bem peculiar. Além disso, é preciso levar em conta que estamos deixando para esta atual geração um mundo cujos estoques estão se esgotando, com o aquecimento global tem se posicionando com uma espada em cima da nossa cabeça.

Esse cenário exige que sejamos hábeis no preparo dos jovens para assumir suas funções nesta casa, construindo outro caminho mais sustentável para o futuro.

Constata-se que o futuro confere ao jovem uma relação estratégica, tendo a tecnologia e o comportamento como ferramentas, e o meio ambiente como propósito de vida.

Mais e mais organizações estão vinculando seus novos quadros de profissionais à observação de como cada colaborador enxerga a vida e o trabalho, ao lado da sua percepção sobre como contribuirá à preservação de onde vivemos.

O mundo está menor e as informações são instantâneas. Nesse contexto, não se justifica as pessoas agirem desconectadas, desinteressadas, sem posição clara sobre a vida e o trabalho. Alienados ou desinteressados entram em desvantagem nos processos seletivos, e quando passam por ele e entram na empresa, não ficam!

Assumir uma postura passiva quanto à degradação ambiental, que pouco a pouco foi construída pelas pessoas e também pelas empresas, fará com que não tenhamos, nos próximos anos, um planeta para viver. Por isso, cabe às empresas uma participação ativa, fazendo a sua parte de modo determinante em favor do futuro em relação ao nosso planeta, a partir dos perfis profissionais que considerará em suas dependências.