Uma regra básica deve ser observada e aplicada para respondermos a essa pergunta: se o estagiário tiver valor relativo, provavelmente, estará na empresa apenas para atender alguma função momentânea ou emergencial. Finalizada a tarefa ou o tempo de permanência, será dispensado ou substituído por outro estagiário que dará prosseguimento na execução da atividade. A empresa seguirá com este modelo de atuação e perderá grandes profissionais.

Entretanto, se para a empresa o estagiário é percebido como elemento importante do plano estratégico para o futuro do negócio, o valor atribuído é o absoluto. Este valor não se restringe ao objetivo estabelecido pela empresa, mas essencialmente, como o estagiário é entendido internamente.

Isto significa que as empresas que obtém os resultados mais expressivos com o Programa de Estágio, adotam uma postura peculiar junto a esses estudantes que se encontram na condição de estagiários. Enxergam que esses jovens estão em processo de aprendizagem e em preparação para participarem do futuro do negócio.

É importante compreender também que esses estudantes são, acima de tudo, jovens cheios de dúvidas, raras experiências e anseios, e que têm talento para agregar valor e energia na concretização dos desafios propostos pela empresa.

O preço a se pagar para a realização de um bom Programa de Estágio será proporcional ao valor que a empresa estará atribuindo ao programa e aos estagiários para o futuro do seu negócio. Quanto mais valor disponibilizado a preparação dos jovens, de maneira completa, menor será o preço a pagar, pois o resultado alcançado, no final, será muito melhor.