O plano de estágio apareceu no cenário legal para direcionar as empresas a estabelecer o objetivo a alcançar com o estagiário. Com a imposição desse instrumento técnico foi introduzido inovador mecanismo para atingir a qualidade esperada do programa.

 

A primeira amarra está relacionada ao supervisor que o estagiário terá na empresa, incubido de estar com ele para apresentar as atividades práticas que possam ser úteis ao seu futuro profissional. Para funcionar melhor, é fundamental que o supervisor esteja treinado, consciente da importância do seu trabalho e interessado.

 

A segunda se refere ao plano de desenvolvimento do estagiário, considerando os fatores técnicos, comportamentais, culturais e sociais que o estudante deve receber ao longo de sua convivência com a empresa.

 

A terceira está vinculada ao dia a dia da empresa. O estagiário precisa ser parte da equipe e sentir o apoio ao seu preparo para assumir futuras oportunidades.

 

A quarta e última amarra trata-se da avaliação do estágio, ferramenta que permite verificar a qualidade oferecida, mas, acima de tudo, identificar se as partes estão satisfeitas com o andamento do estágio e se necessário ajustar a sequência do programa e da convivência.