O mundo do trabalho se modifica a todo tempo. Se antes o profissional construía sua carreira dentro de uma única organização, atualmente a alternância de emprego é algo constante, principalmente para os profissionais mais jovens.

A cada dia surgem cursos com aplicações de acordo com a nova realidade de oportunidades, necessidades e inovações da empresa. Essas áreas de conhecimento humano representam o futuro e estão intrinsicamente ligadas à sustentabilidade do planeta.

As profissões que envolvem conhecimento ambiental estão sendo mais valorizadas à medida que as organizações vão amadurecendo e aumentando as estratégias e consciências sobre sustentabilidade. Funções que estarão em alta: gestor de resíduos, coordenador de direito ambiental, coordenador de engenharia ambiental, gestor de produção e operações florestais e profissionais especializados em formas alternativas de produção de energia, em especial energias solar e eólica. A formação exigida para profissionais que querem ocupar essas vagas variam entre engenharia ambiental, engenharia química, engenharia de produção, química e/ou biologia.

Outra demanda crescente segundo pesquisa realizada nos Estados Unidos é por profissionais da área da saúde, especializados em atuar com envelhecimento. Médicos, psicólogos, enfermeiros, fisioterapeutas, etc.

Já os profissionais da área de tecnologia que atualmente já são a bola da vez, nos próximos anos o número de vagas voltadas a esse segmento irá aumentar ainda mais. Afinal, ninguém vive sem tecnologia, as empresas já não conseguem produzir e oferecer os seus produtos e serviços sem o auxilio dessa poderosa ferramenta. As funções mais requisitadas para a área são: Programadores, especialista em marketing digital, criadores de conteúdo, especialistas em games, e por aí vai.

Essas profissões não devem ser consideradas da moda, estão, além disso, configurando-se a partir de uma demanda do mercado e são essenciais para a construção e manutenção dos novos modelos produtivos, com profissionais e empresas mais conscientes e críticos acerca de sua atuação e da obrigatória menor emissão de CO² na atmosfera.