Tornou-se estratégico para as empresas (essencial, em diversos casos e momentos) o olhar focado e direcionado a atender o cidadão, que hoje é bem mais exigente e observador quanto às ações e os programas voltados para a execução da responsabilidade social no cotidiano empresarial.

Empresas que investem na execução de programas de responsabilidade social percebem uma grande oportunidade para unir, de maneira responsável, o atendimento da obrigação social e a obtenção de melhores resultados a cada real investido na contratação de aprendizes.

O melhor que se tem praticado no mercado segue a convicção de que a realização de um bom Programa de Aprendiz permite a identificação de bons quadros de jovens, inicialmente adormecidos em seu potencial pelo Ensino Médio ruim que realizaram. Essas empresas adotam algumas diretrizes e cuidados próprios da consciência social que possuem e buscam pelo retorno palpável a quem participa.

As primeiras medidas que essas inciativas bem sucedidas tomam é a definição pelo Programa de Aprendizagem que tem a ver com a atividade que mais ocorre na base ocupacional da empresa. Se a atividade for, por exemplo, administrativa/operacional, o programa de aprendizagem se volta para preparar os futuros ocupantes dessas posições, em função natural de turnover em seu quadro funcional.

Como se trata de jovens com frágil preparo educacional, as empresas com sucesso no programa definem mais algumas diretrizes:

  • Diagnóstico das áreas e funções em que os jovens aprendizes serão aproveitados no final do programa.
  • RH atuante e sinérgico, no sentido de ajustar os interesses e necessidades dos agentes internos envolvidos.
  • Treinamento aos gestores que estarão com os aprendizes no cotidiano, quanto aos papéis operacionais, legais, técnicos e sociais, além de um plano de desenvolvimento do jovem que está sob sua atuação como aprendiz.
  • Plano para o desenvolvimento dos aprendizes, observando os aspectos técnicos, comportamentais, culturais e sociais.
  • Encaminhamento ao mercado dos jovens não aproveitados ao final do contrato.