A aposta que a empresa faz no estagiário é sempre espontânea. Não há cota, não há obrigação legal, nem qualquer imposição decorrente de fiscalização dos agentes de trabalho que obriguem a empresa a contratar estagiários. É uma decisão voluntária, que ocorre em função de sua responsabilidade social e por estratégia própria para a formação de quadros.

Para empresas que almejam realizar um bom programa de estágio, quais fatores merecem especial atenção para obtenção dos melhores resultados? É claro que cada empresa tem suas características de cultura interna, estratégia de negócio, valores e crenças. Entretanto, listamos alguns componentes dos programas de estágio que apresentam os melhores resultados:

  • Empenho da empresa na implantação da política e estratégia assumidas quanto à participação dos estagiários no cotidiano da organização. Conhecemos vários cases de ex-estagiários assumindo posições de alta direção de grandes empresas. Eles iniciaram ainda jovens, sem experiência, mas apresentando enorme potencial e foram apoiados, na época, pela direção e por funcionários. Resultado de investimentos e perseverança de gestores que apensar das dificuldades que possam ter surgido no trajeto focaram no desenvolvimento daquele jovem.
  • Gestor treinado, consciente e interessado é um fator fundamental para que o estágio corra bem. Gestores nessa condição dão a face do sucesso ao Programa de Estágio. Para isso a empresa deve promover apurada seleção e treinamento para o gestor que irá atuar como mentor do estagiário. O gestor escolhido para essa função deve ter consciência do seu papel, e estar genuinamente interessado em desempenhá-lo.
  • O plano de desenvolvimento de estagiário, abordando os fatores técnicos, comportamentais, culturais e sociais. A existência do plano de desenvolvimento para o estagiário fortalece o seu preparo, ainda mais tendo ao seu lado um gestor interessado, consciente e treinando, contando com politicas e diretrizes claramente definidas pela empresa.
  • RH costurador, cuja função é juntar as pontas, isto é, precisa incumbir-se de atuar no objetivo que a empresa quer alcançar com o programa executado, no desenvolvimento proporcionado ao estagiário, no trabalho de mentoring realizado pelo gestor responsável e acompanhando o movimento das oportunidades que ocorrem internamente. Com o RH no gerenciamento, cuidando de aproximar a oferta da demanda, as possibilidades de sucesso aumentam bastante.

Essas dicas oferecem garantia mais profissionalizada para o sucesso do investimento feito no estagiário. Ganham a empresa, o estagiário e a formação de novos quadros.