Atualmente, uma parcela expressiva das empresas, em especial as médias e grandes, avalia a melhor forma de contar com a participação dos jovens em seus negócios.

 

Para focar e ficar na empresa, os jovens querem, em primeiro lugar, receber muito desenvolvimento. Almejam uma excelente relação com sua supervisão, o que inclui serem ouvidos atentamente. Buscam um trabalho que seja divertido, forte identificação com os valores da empresa, claros critérios para as promoções, e boas recompensas financeiras.

 

Esses estudantes oferecem ao meio empresarial uma série de atributos comportamentais, que consideram fundamentais: muita empolgação, vitalidade, garra, oxigenação, ideias, agilidade e vontade de trabalhar. O desafio é encontrar o fio condutor entre o talento oferecido pelo candidato e a realidade empresarial ainda desconhecida por ele, de maneira a adequar suas expectativas e as necessidades das empresas.