Muitas pessoas acreditam que a liderança é uma característica inata, isto é, uma habilidade que nasce com o indivíduo. Porém, pesquisas apontam que a liderança é um aspecto a ser desenvolvido, desde que o indivíduo consiga desenvolver a si mesmo, isto é, consiga compreender de forma madura as próprias emoções e características.

Diante de equipes cada vez mais mistas, é fundamental que o líder percebe os diferentes modos de trabalhar de cada geração e invista na capacitação de jovens motivados e treinados para posteriormente ocuparem cargos de liderança.

A geração Z que é representado no mundo do trabalho por jovens entre 14 a 25 anos, são colaboradores mais ansiosos e não tem o objetivo de construir a carreira em uma única organização. São versáteis, engajados socialmente e sempre conectados.

O líder deve estar ainda atento a estes colaboradores, que iniciam a carreira profissional normalmente inserido em Programas de Estágio, Aprendiz e Trainee. É preciso motivar e capacitar estes profissionais.

Algumas dicas que auxiliarão neste processo:

  • Ser um facilitador: auxiliar o jovem na aquisição de conhecimentos quanto à área, as atividades e a equipe com quem irá trabalhar;
  • Persuasão: Comprometer seus liderados com o seu propósito, faça com que os seus colaboradores assumam compromisso com este propósito que posteriormente será o objetivo de todos;
  • Respeito: Tratar seus subordinados com respeito avalie-os não apenas na esfera profissional, mas também nos aspectos emocionais;
  • Escuta apurada: Ouça seus subordinados, dê espaço para ouvir os planos, expectativas e anseios de seus funcionários;
  • Delegar: Distribua responsabilidades e perceba como as ações do time influenciam nos resultados do todo;

Os jovens estão impondo um grande desafio para as organizações, a de reinventar-se, e propor programas atrativos e motivadores que poderão extrair o melhor de cada profissional. As empresas que se adaptam mais rapidamente a esta nova exigência irão reter talentos e garantir o sucesso de seus negócios.