As oportunidades que se apresentam no mercado de trabalho são oferecidas e valorizadas, também, por uma escala de importância definida pelas empresas, considerando o que representam para atingir os objetivos estabelecidos em suas estratégias de negócios e de produção.

 

Aproximadamente, 60% das oportunidades de trabalho oferecidas pelas empresas são destinadas a profissionais cujo perfil é definido como “competitivo”. Em geral são profissionais atualizados tecnicamente, proativos, com capacidade de liderar projetos e pessoas, honestamente interessados em servir e fazer o melhor que podem para si e para os outros, criativos e inovadores, como também empenhados em encontrar o conjunto mais adequado de competências que permita atender a seus interesses pessoais, profissionais e social.

 

No plano dos competitivos estão as melhores oportunidades de trabalho, porém as exigências ampliam-se muitíssimo. A relação conhecimento e comportamento é parte intrínseca desse meio. Quem não estiver consciente do funcionamento desse meio e preparado adequadamente para as exigências requeridas pelas empresas, não entra e, principalmente, não se mantém na condição de “competitivo”. Portanto, não basta ser muito bom tecnicamente, deve-se ter um conjunto de habilidades e competências comportamentais.

 

E como se caracteriza as oportunidades definidas como “competitivas”?

  • O meio ambiente corporativo onde se concretizam as oportunidades competitivas é fortemente desafiador, inquieto e jamais privilegia a rotina.
  • Os resultados a serem alcançados são estimulantemente difíceis e, uma vez alcançados, propiciam ascensão mais rápida na carreira.
  • Empresas ou ambientes com esse perfil são financeiramente saudáveis, bem como naturalmente competitivas do ponto de vista externo. No plano interno, o trabalho em equipe é essencialmente valorizado.
  • Os resultados são compartilhados, embora a meritocracia esteja presente no cotidiano competitivo e seja o instrumento utilizado para promover o crescimento individualizado na carreira.
  • Nesses ambientes, a tecnologia e as pessoas são fortemente valorizadas e o trabalho é suficientemente interessante para reter o profissional competitivo.

A maior parte das oportunidades é para os competitivos; muitas delas não são preenchidas por falta de profissionais com perfil e condições para responder à demanda. Provavelmente será nessa faixa que se encontrará o futuro das oportunidades profissionais.