Apesar de as empresas terem que cumprir sua cota em relação à contratação de jovens aprendizes, o entendimento interno sobre o que é o Programa, a maneira de perceber o aprendiz, como empreender o Programa, iniciativas com responsabilidade social, plena consciência do papel de cada um que convive com os jovens, bem como da direção da empresa, definem os resultados técnicos e sociais a alcançar.

Se o contratante compreende que o melhor é situar-se ao lado do investimento, cumprirá a cota se utilizando dos manuais de boa administração utilizadas por empresas que conseguem os melhores resultados com o Programa.

  • O primeiro ponto considerado pelas empresas, com sucesso, no Programa Aprendiz antes de iniciar o atendimento da cota, é o efetuar criteriosa revisão na politica de contratação, formação e retenção de seu quadro de RH operacional.
  • As empresas que estão em situação de receber aprendizes possuem grande percentual de seu quadro de funcionários com perfil operacional, elegíveis, portanto para o programa.
  • Profissionais preparados para executar tarefas operacionais rareiam os tempos de boom na economia e sobram em épocas de crises. Porém, o turnover histórico junto a esse tipo de profissionais é significativo, como o custo de substituição.
  • Com esse quadro, empresas percebem na condição de unir o útil ao agradável, organizando o Programa Aprendiz de modo a ser um fornecedor para as funções operacionais em que os aprendizes se adequassem, atendendo, ao mesmo tempo, a imposição da cota.
  • Definida a estratégia a empresa deve optar por ações que promovam alianças e apoios de stakeholders, fortalecendo as possibilidades de sucesso do Programa.
  • É importante realizar apresentações e lançar comunicados internos aos funcionários, esclarecendo as razões do programa e o que se pretende alcançar. Também é importante realizar reuniões com os colaboradores que ficarão com gestores dos aprendizes, apresentando, a eles, o programa, seus objetivos, o treinamento que receberam para executar seu novo papel e o plano de desenvolvimento a ser aplicado aos aprendizes.
  • Os responsáveis pelos setores que receberão os aprendizes devem ser esclarecidos e orientados, pois fazem parte de um grupo importante de stakeholders e podem intervir no ritmo, no padrão e no aprendizado técnico dos jovens aprendizes.
  • Solicitar à entidade que deve aplicar o conteúdo técnico complementar que passem forte conteúdo comportamental aos aprendizes.