Há uma razoável diferença entre sentir-se capaz para operacionalizar adequadamente um bom programa de estágio, e ser capaz. Na verdade, o que se observa em grande parte das empresas nessa condição é a troca dos pés pelas mãos. O RH não consegue fazer um bom trabalho e se perde na condução do programa de Estágio, confunde estágio com mão de obra.

Sem domínio para realizar e nem conhecimento de causa, acabam observando apenas os mais conhecidos aspectos operacionais e legais, sem atentarem-se, aos aspectos mais importantes envolvidos, os técnicos e os sociais.

Na primeira vacilada do gestor que convive diretamente com os estagiários na empresa, surge à fiscalização autuando e multando os desvios encontrados na condução do Programa. Em ocasiões assim, o Rh sente-se pressionado a buscar solução, que por vez recai sobre um parceiro experimentado, com histórico profissional para organizar melhor o Programa de Estágio e atuar como consultoria junto aos meandros do assunto.

Independente da razão que leva a empresa a buscar um parceiro, é importante definir, antes, o que necessitará dele. Parece obvio, mas em muitas oportunidades é possível observar que muitos RHs se esquecem de fazer a lição de casa e a inserção de um agente externo caracteriza-se como uma mudança radical, fazendo com que a organização, por meio do seu Rh, avalie o significado dessa mudança, quais os impactos internos e em que contará com o agente de integração.

Ainda existe um contingente de RHs que não perceberam o valor da correta definição do tipo de agente de integração que precisa ter para receber efetivo apoio na melhor condução de seu Programa de Estágio. Parece que existe um grupo de RHs que liga o seu piloto automático e escolhe parceiros que valorizam mais a papelada ao invés de assumir o manche de seu Programa de Estágio, rumo ao futuro dos negócios.

É importante ressaltar que graças a agentes de integração conscientes e antenados às exigências impostas pela globalização e pela competividade mundial, se voltam à formação de futuros quadros, preparam esses jovens estagiários para impulsionar a empresa no Terceiro Milênio.