É normal que os jovens dediquem grande parte do seu tempo e energia a baladas, festas e bastante azaração. Jovem é jovem e, afinal está vivenciando um mundo cheio de descobertas, conhecendo novos amigos, namorando e “curtindo”. O que não é normal é achar que a vida é só isso e não dedicar interesse a outros assuntos que também são importantes para o futuro.

Em um universo que apresenta farta gama de informação disponível, a molecada, em muitos casos, sem estabelecer responsabilidades claras, em diversas ocasiões, prioriza no cotidiano somente o que é prazeroso.

Mas é preciso ficar claro que apesar de ter muita informação disponível, o jovem está apenas no início do seu processo de aprendizagem. Com muita estrada pela frente, a garotada poderá cair na armadilha de achar que terá tempo suficiente para recuperar o que deixou de fazer, e estarão seriamente enganados. O tempo perdido agora poderá não ser recuperado no futuro. Não há como saber se haverá outra oportunidade adiante. Sobre o futuro não há controle.

Outro fator a considerar é que a vida como um todo exige certas responsabilidades que são aprendidas fora dos contextos de entretenimento e diversão. O jovem que não desenvolve essas habilidades sentirá grande dificuldade em ingressar no mundo do trabalho ou ainda conseguir concluir um plano acadêmico.

Na faculdade, assim como no trabalho, existem cobranças e prazos, quando não cumpridos, você “dança”, perde um ano de graduação ou perde uma grande oportunidade de trabalho e crescimento profissional.

E não adianta deixar para depois, uma hora a responsabilidade bate a porta, o dinheiro acaba e será preciso se virar para ingressar no mundo do trabalho de forma equilibrada e consciente.

Não precisa abandonar as baladas, mas saber administrar as prioridades, curtição nos momentos certos, investir em qualidade de vida, praticar atividade física, conservar bons amigos, aprender um novo idioma, iniciar uma graduação. A vida passa muito rápido e as oportunidade também. Fique atento!