Toda empresa precisará de uma entidade qualificada para fornecer a formação técnica profissional aos seus aprendizes, na qualidade necessária, como exigido pela lei de aprendizagem.

A entidade tem como obrigação fornecer ao empregador o plano do curso, a especificação do público-alvo, dos conteúdos programáticos que serão ministrados, a duração do curso, a carga horária, o acompanhamento, as avaliações e a certificação.

Qualquer programa aprendiz, para dar certo, necessita de uma pessoa jurídica externa ao empregador que trabalhe como um verdadeiro parceiro da empresa. É primordial haver sinergia nos estilos e nas culturas do empregador e da entidade, de modo a conduzir suas respectivas responsabilidades, entrosados nos objetivos a alcançar e na metodologia utilizada. E sinergia rima com parceria.