Os cientistas garantem que as atuais novas gerações viverão muito mais do que as anteriores, graças à novas descobertas e tecnologias auxiliares voltadas ao refino da medicina.  Esse aumento de tempo de vida provocará fortes consequências nos relacionamentos pessoais e profissionais.

 

Um dos questionamentos é: as pessoas se realizarão profissionalmente nas dependências de uma empresa, ou em casa, no chamado home office? Pode se tornar ainda mais comum que boa parte das operações da empresa ocorra com a participação de profissionais que realizam suas atividades por conexões virtuais, utilizando-se da internet. Afinal, a tecnologia é instrumento de vida e de trabalho desses jovens.

 

Também é perceptível que o tempo de convivência das gerações XXI com o trabalho aumentará bastante. É plausível que sua relação com o mercado de trabalho ocorrerá por 50, 60, 70 anos ou mais.

 

Essa condição impactará o movimento das novas gerações pelo meio empresarial. Ficará muito difícil os representantes dessas gerações terem uma única profissão ao longo de sua vida profissional, pois viverão mais.

 

Diante de um mundo novo e com tantas alternativas, será desaconselhável para o jovem XXI conservar a distância que mantém com o mercado de trabalho. Ele deverá compreender que os seus destacados preparos técnico e tecnológico somente terão melhor rentabilidade se somados ao preparo comportamental e à disposição para realizar sua parte na reconstrução econômica do planeta.