Quando uma empresa realiza o programa Trainee, conta com a participação de jovens brilhantes, que trazem inovação, liderança e capacidade para produzir resultados significativos. Por parte dos recém-formados ou estudantes, a atração se concentra na expectativa quase real de que haverá ascensão meteórica, alta exposição profissional, tratamento diferenciado na empresa, e remuneração digna de sua capacidade.

Os dois cenários, um empresarial e o outro dos jovens, não são retratos exatos da realidade. É necessário haver ajustes importantes nas expectativas de ambas as partes. Esses ajustes passam por três princípios que melhor definem a convivência profissional mais adequada, envolvendo diferentes gerações e posicionamentos.

  • Transparência: comunicação clara entre as partes no sentido de que a empresa e o candidato saibam e deixem transparente o que querem alcançar e até onde irão investir na relação.
  • Velocidade: a perspectiva de crescimento na carreira em velocidade meteórica existe em grande parte dos jovens da vez. Por isso, é importante ajustar as expectativas sobre a ideia de carreira rápida. É fundamental que haja o ajuste do timing.
  • Equilíbrio: representa a verdadeira convicção de que um lado irá aprender com o outro. É preciso que a empresa chegue mais perto do universo do jovem, como o jovem se aproxime do universo empresarial.