No programa de estágio a atenção de todos deve ficar focada na qualidade. São os aspectos técnicos que dão sustentação aos aspectos legais do estágio. Não adianta atender o que é preceituado nos aspectos legais se o programa for de qualidade ruim para o desenvolvimento do estudante.

Eis os principais pontos a serem observados:

  • É a escola que define as condições do estágio a realizar.
  • As atividades destinadas ao estágio devem estar correlacionadas ao programa pedagógico do curso, com o estágio previsto nesse programa.
  • Estágio é estágio, portanto, cuidado com o dia a dia, pois a pressão por resultados no cotidiano empresarial pode interferir na correta condução do estágio e do estagiário.
  • Para que o estágio realizado desenvolva de fato o estudante, é fundamental ter uma adequada supervisão por parte da empresa e da escola, concretizada com a designação de um profissional da empresa e de um professor/técnico da escola para executar essa função.
  • O supervisor da empresa é corresponsável pela qualidade do estágio desenvolvido. Juntamente com o RH da empresa deve promover o desenvolvimento prático do estagiário, conforme previsto e estabelecido previamente.
  • A avaliação do estágio deverá ocorrer, no máximo, a cada seis meses de atividades realizadas e enviadas à escola do estagiário. É o instrumento que servirá de bússola à qualidade do estágio realizado. Se houver algum problema nesse campo, a escola será informada e poderá reorientar a empresa para que o estágio possa ocorrer de maneira pedagogicamente útil à formação do estudante.